domingo, 15 de janeiro de 2012

Regiões e Big Brother Brasil #paposério

Depois de um tempo de "férias" do blog, vim hoje com um post diferente o #paposério, e o nosso papo de hoje é: A questão regional no Big Brother Brasil.

Venho logo dizendo que não sou "pseudo-intelectual" nem quero fazer tipo, mas não assisto o BBB... Não tenho paciência, fico revoltada com as besteiras, etc, etc... E, por essas razões, não falaria desse programa aqui no blog.
Só que percebi, e já devia ter percebido faz tempo, a intenção do Boninho (leia-se Globo) de intensificar os esteriótipos regionais nas últimas edições.  Quer exemplos?  Todo BBB tem gaúchos bonitões, nordestinos chatos, paulistas que correm atrás de trabalho sempre ou são de um estilo em ascensão no momento da estreia do BBB, mato grossenses que nos dão sono e que servem de vegetal na casa, muitos mineiros que comem quietinhos e cariocas bom vivãs. 
Vocês acham realmente que as pessoas desses estados/regiões só são assim? Acham realmente legal colocar 3 ou 4 pessoas de um mesmo estados e não ter NENHUMA pessoa que venha da Região Amazônica? Ou só ter uma representante para todo o Nordeste?
Depois dessa mega introdução eu os direi como este post surgiu. Nas conversas corriqueiras ouvi falar sobre a participante baiana, Jakeline, sempre diziam que ela era chata, queria pagar de menina da roça e chorava por tudo. Assisti e comprovei que a tal "Jake" era realmente um purgantinho, e tão forçada que até o sotaque dela era falso. Porque digo isso com tanta propriedade? Moro em Salvador, a poucos quilômetros de Feira de Santana (cidade da dita cuja)... E, sinceramente? As coisas não são bem assim. Depois de analisar a "querida" Jake, fui analisar outro participante que foi odiado... O Diogo Pretto. E olha, ele era bem melhor do que ela viu? Ao menos não forçava a barra. Mas foi odiado por xingar tudo e todos e pela sua hiperatividade. rs
Sabe de que eu sinto falta? Da inteligência e sagacidade de nosso baiano Jean Wylys, que tinha Graduação em Letras e Mestrado em Jornalismo pela Universidade Federal da Bahia (ui), ganhou o Prêmio Braskem de Literatura e, ainda por cima, foi o vencedor do BBB5 com honras (mereceu, viu?) e hoje é - pasmem - Deputado Federal.
Sinto falta da época em que pessoas de verdade entravam no BBB, como Cida, do BBB4.
Não estou aqui como talifã anti-BBB, não mesmo. Só acho que as coisas poderiam ser menos manipuladas e com pessoas um pouco menos chatas e mentirosas do que são hoje.
O post está aberto a discussões.

Beijo,




P.S. Vale a pena ler a retrospectiva dos BBBs.

5 comentários:

Iasmin Cruz disse...

Sarah vcoê esquecer de mencionar no primeiro BBB, o artista plástico Adriano, que hoje é do corpo docente da EBA (UFBA) (já peguei matéria dele) e era uma personalidade provocativa e longe desses estereotipos que fazem sobre os nordestinos.

unhaelegante.blogsot.com

Iasmin Cruz disse...

Ah, e assino em baixo em tudo que você disse aí, concordo mesmo! Excelente post.

unhaelegante.blogspot.com

Anita disse...

Muito bom o post, gostei bastante do blog e já tô seguindo!!

http://anitamakingof.blogspot.com/2012/01/esmaltes-top-beauty-by-adriane-galisteu.html

Laylla Leite - Nails 4U disse...

Amei seu post, Sarah, disse tudo!
Eu já tinha parado para pensar nesse aspecto regional, dentre outros e é claro que existe alguma manipulação!

Beijos!

Gabi Soares disse...

BBB não leva nada de útil na minha vida, logo prefiro gastar meu tempo assistindo um bom filme :P

Beijos, meninas.